Atenção Básica – até onde vai o seu alcance?

Atenção Básica – até onde vai o seu alcance?

A Atenção Básica também chamada de Baixa Complexidade, divide atenções com a Média e com a Alta Complexidade. É, também, é o maior e mais importante dos departamentos funcionais do SUS e o que tem recebido o maior montante de investimento pelo Governo Federal, principalmente por atuar em setores de promoção de saúde. Mas, na prática, quando um paciente entra no consultório, você sabe identificar até onde vai a Atenção Básica?

 

Benefícios da Informatização? O Gestor Informatizado! Convença sua equipe? Como Licitar.

 

Atenção Básica: A principal porta de entrada do SUS

O primeiro contato do paciente com o SUS é pela atenção básica. Exceto nos casos de urgência e emergência, todo paciente que necessita de cuidado já procura o consultório do “postinho”, chamado de UBS – Unidade Básica de Saúde.

 

Em qual momento o paciente muda de Nível de Atenção?

Teoricamente, a Atenção Básica deveria ser capaz de resolver 85% dos problemas de saúde de uma população; vamos utilizar exemplos do dia-a-dia para explicar melhor:

 

Exemplo #1: Seu Pedro está com febre!

problema soluçãoSeu Pedro, de 48anos, procura o “postinho” para uma consulta com o Médico Clínico devido à Febre. O médico o examina, detecta uma Amigdalite (inflamação nas Amigdalas, na garganta) e prescreve um analgésico e um antibiótico.

 

Exemplo #2: Dona Joana está com febre!

Dona Joana, de 62anos, procura o “postinho” para uma consulta com o Médico Clínico devido à Febre. O médico a examina, detecta uma Amigdalite (inflamação nas Amigdalas, na garganta), tosse e prostração. Ele prescreve um analgésico, um antibiótico e solicita um Hemograma e uma Radiografia de tórax.

 

Baixa Complexidade (Atenção básica) x Média Complexidade

No exemplo #1 foi Atenção Básica PURA! O médico finalizou o atendimento ali mesmo, com um bom diagnóstico e tratamento adequado.

 

No exemplo #2 foi Atenção Básica (NÃO-pura) com apoio de recursos de Média Complexidade: Hemograma e Radiografia de Tórax.

 

Pediu exame, é Média Complexidade!

preçoUma dica eficiente para determinar se o atendimento utilizou somente recursos da Atenção Básica ou teve apoio da Média ou Alta Complexidade é observar se o Médico solicitou algum exame complementar.

No exemplo #2, houve necessidade de Exames laboratoriais e exames Radiológicos – que fazem parte dos procedimentos de Média Complexidade.

 

E o Especialista, em quê nível ele está?

Sem querer complicar, vamos utilizar um outro exemplo:

Exemplo #3: Seu Tenório tem Pressão arterial muito alta.

Seu Tenório, de 43anos, está em uma consulta com um cardiologista, que percebe uma pressão arterial extremamente elevada, faz uma prescrição e o solicita o retorno em 15dias.

 

Esse exemplo parece muito com o Exemplo #1: Não houve nenhum exame, nenhum Hemograma, nenhuma radiografia, sendo assim: Atenção Básica?! NÃO! MÉDIA COMPLEXIDADE.

 

O exemplo #3 é Média Complexidade por utilizar Profissionais que executam procedimentos de um nível de complexidade maior – no exemplo: Consulta médica em Atenção Especializada.

 

Então, o quê importa é o Procedimento?

Sim, o quê importa, no fim das contas, é o PROCEDIMENTO que o paciente realizou ou realizará. Quando você tiver dúvidas sobre qual nível de Atenção em quê o paciente está, descubra qual procedimento ele está executando e pesquise na tabela do SUS, tabela SIGTAP que é a ferramenta básica mais importante e que deve ser muito bem entendida pelo novo Gestor do SUS.

 E-Book – 3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!

 

Atenção básica, uma abrangência maior.

Diversas ações e procedimentos executados no âmbito do SUS pertencem à atenção básica, como Atividades educativas, consultas com Médico pediatra (da atenção básica), atendimentos com médico da Estratégia de Saúde da Família dentre outros.  

Esquematicamente, a maioria dos atendimentos do SUS devem ser realizados no primeiro nível de Atenção – alguns estudos sugerem que 85% dos procedimentos sejam na atenção Básica. É muito importante que o Gestor do SUS tenha clara noção da distribuição do procedimentos de acordo com o nível de atenção em sua cidade; nesse artigo, utilizamos o exemplo de duas cidades fictícias para auxiliar na avaliação, não deixe de ler. Nos últimos anos, o Governo Federal tem aumentado o investimento e transferência de recursos para a Atenção Básica, sinalizando a sua importância na política gerencial do SUS.

E-Book – 3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!

 

E então, o quê achou?

Tentei sem simples e objetivo nesse artigo e espero que você tenha entendido. Seria muito importante se você deixasse o seu comentário, pois irá nos ajudar a enriquecer esse post. Participe.

E-Book – 3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!

Shares
Share This

Gostou? Compartilhe!

Compartilhe esse post com amigos!

Compartilhe!

Compartilhe esse post com amigos!

This is a demo store for testing purposes — no orders shall be fulfilled.