O PMAQ cobra: Elimine a Burocracia!

O PMAQ cobra: Elimine a Burocracia!

As Unidades Básicas de Saúde são a porta de entrada mais importante do Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo desses Postos é atender até 80% dos problemas de saúde da população, sem que haja a necessidade de encaminhamento para hospitais. Portanto, concluímos que os Postos de Saúde sempre se encontram lotados, e a organização das equipes de saúde é fundamental para que seja prestado um serviço qualitativo para toda a população. É essencial, que todos os profissionais de saúde (médicos e enfermeiros) estabeleçam métodos para simplificar as consultas e tratamentos prestados aos pacientes, possibilitando uma maior rotatividade nos Postos de Saúde para que todos possam desfrutar ao máximo das funcionalidades do SUS. Mas deve-se deixar bem claro que o maior vilão da superlotação dos Postos de Saúde é a burocracia, dificultando processos que poderiam e se tornam bem simples se olharmos de um ângulo prático. Por exemplo, existe uma demanda significativa de pacientes que participam de programas ou grupos prioritários de cuidado continuado (hipertensão ou diabetes) que vão aos Postos de Saúde com a necessidade de tentar o agendamento de uma consulta para renovar uma simples receita. Chegamos no “ponto chave” da nossa questão, o PMAQ quer saber se sua equipe e Posto de Saúde em geral executam procedimentos burocráticos, dessa forma, será perguntado pelo Avaliador Externo (PMAQ): “A equipe realiza renovação de receitas para os usuários de cuidado continuado/de programas como hipertensão e diabetes, SEM A NECESSIDADE de marcação de consultas médicas”? Evidentemente, nesses casos, marcar consultas é algo extremamente desnecessário. Reflita você mesmo: todos os pacientes que participam de programas ou grupos de cuidado continuado se...
O PMAQ cobra: Programe ações para Grupos Prioritários!

O PMAQ cobra: Programe ações para Grupos Prioritários!

O PMAQ tem uma atenção especial a grupos prioritários de cuidado continuado. Dessa forma, para alcançar mais pontos na escala avaliativa (PMAQ), suas equipes devem programar ações de educação em saúde para pacientes de grupos prioritários. Os pacientes pertencentes a esses grupos são:  crianças menores de 5 anos, idosos, gestantes, hipertensos, diabéticos, pessoas com tuberculose e portadores de hansianíese. Na primeira fase das visitas domiciliares é feito o primeiro contato e mapeamentos de todos esses grupos prioritários. É um processo relativamente aleatório: os agentes saúde saem por meio de um trabalho de campo e visitam os moradores de uma determinada área. Através de fichas, é registrado o cadastro e o estado de saúde desses pacientes. Essa fichas geram os dados do SIAB, e são elas: ficha B-GES (gestante), ficha B-HA (hipertenso), ficha B-DIA (diabético), ficha C (crianças), ficha B-TB (pessoas com tuberculose) e ficha B-HAN (pessoas com hanseníase). Logo, as informações contidas nessas fichas será de suma importância para que as equipes de saúde possam buscar e localizar esses pacientes, com o objetivo de programar ações de educação em saúde. Dentre essas ações, podemos citar, por exemplo, a distribuição  de cartilhas e folhetos direcionados ao público-alvo, palestras preventivas e é claro, acompanhamento domiciliar. O PMAQ deseja que as equipes de saúde “busquem e criem vínculo (interajam)” com esses pacientes, para que se possa fortalecer a união entre a equipe, o usuário SUS e a família. Por isso, após esse trabalho de campo e preenchimento de todas essas fichas, é a vez das equipes de saúde promoverem ações pactuadas e eficientes visando esses grupos prioritários de pacientes, de uma forma eficiente...
Protocolos lançados hoje fortalecem a capacidade clínica e de comunicação das UBS

Protocolos lançados hoje fortalecem a capacidade clínica e de comunicação das UBS

Gestores e trabalhadores do SUS ganharam, em 26/2/2015, mais uma publicação especial, que apresenta estratégias para o aumento da resolutividade, da capacidade de coordenação do cuidado e da legitimidade social da Atenção Básica. Trata-se do primeiro volume da publicação “Protocolos de encaminhamentos da atenção básica para a atenção especializada”, voltados à Endocrinologia e Nefrologia, lançada na manhã desta quinta-feira (26), pelo diretor do Departamento de Atenção Básica, Eduardo Alves Melo.   Guia de Encaminhamento!    O lançamento aconteceu durante reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), na Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), e teve foco no destaque que a publicação dá a alguns aspectos presentes no processo de referenciamento de usuários para outros serviços especializados, que são abordados sob a forma de protocolos de encaminhamento. Tais protocolos deverão ser articulados a processos que aumentem a capacidade clínica das equipes e que fortaleçam práticas de microrregulação nas unidades básicas de saúde (UBS). Mais do que isso, que propiciem a comunicação entre UBS, centrais de regulação e serviços especializados, como a pactuação de fluxos e protocolos, apoio matricial presencial e/ou a distância.   Baixe o Guia de Encaminhamento! São, portanto, ferramentas de gestão e de cuidado, e tanto orientam as decisões dos profissionais solicitantes quanto se constituem em referência que modula a avaliação das solicitações pelos médicos reguladores.   Guia de Encaminhamento!   Divulgada lista completa de certificação do PMAQ O Departamento de Atenção Básica acaba de divulgar a segunda e última lista de certificação do 2º ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB).  Lista PMAQ – Receba em seu Email. Lista PMAQ – Receba em...
4 Razões pelas quais o prontuário de papel esta destruindo sua nota no PMAQ!

4 Razões pelas quais o prontuário de papel esta destruindo sua nota no PMAQ!

O PMAQ leva a serio quando o assunto é organização de prontuários. Sem duvida alguma, esse é um dos temas de maior importância, correspondendo a 8% da nota nos pontos de avaliação externa e classificado como relevância 3 (como se fosse peso 3, em uma escala de 1 a 4). Portanto, que fique claro de imediato que a nota (PMAQ) e recurso financeiro da Equipe de Atenção Básica são comprometidos (diminuem) com a utilização de prontuários de papel. Modelos comuns de prontuários nunca atingiram os padrões de organização e integração cobrados pelo PMAQ. Lamentavelmente, os prontuários não são tratados com o devido zelo e importância nos Postos de Saúde. São engavetados (dentro de pastas) e amontoados de forma totalmente desorganizada. Porém, devemos nos conscientizar que prontuários de papel se comprometem e são desorganizados por natureza. Logicamente, a razão disso é sua matéria prima. Papeis rasgam, rasuram, são difíceis de manusear, ocupam espaço e comprometem preservação e atualização de dados. Consequentemente, o fato de se encontrarem engavetados e amontoados é resultado da única e desorganizada maneira de guarda-los. O terceiro ciclo do PMAQ esta chegando. As equipes e Postos de Saúde devem se alertar o quando antes que estão perdendo dinheiro com a utilização de Prontuários de Papel. Não deixe de ler… Veja de forma enumerada, os motivos que comprovam que Prontuários de Papel estão destruindo sua nota no PMAQ!   1. Ter um Prontuário Eletrônico faz sua nota aumentar! No momento de verificar os seus prontuários, o avaliador externo (PMAQ) fará a seguinte pergunta: “Existe prontuário eletrônico implantado na equipe?”. Automaticamente, sua Equipe de Atenção Básica já começa pontuar...
Acolhimento é Assim: Você Pensa, PARA de Pensar e (se precisar) Pensa de novo!

Acolhimento é Assim: Você Pensa, PARA de Pensar e (se precisar) Pensa de novo!

Acolhimento ao usuário do SUS é uma arte, que de tão importante, recebeu Relevância 4 no PMAQ (como se fosse peso 4, em uma escala de 1 a 4) e representa mais de 10% dos pontos da avaliação externa. E para se chegar a um Acolhimento Eficiente a equipe precisa passar por um processo de 4 etapas distintas e interligadas. Uma vez implantado, a vida de toda a equipe se tornará muito mais fácil.     Confira!   Artigos importantes: Antes de seguir no Acolhimento Nota 10, gostaria que vocês lessem e opinassem sobre esses artigos  principais sobre o PMAQ e como tornar o seu Acolhimento Eficiente – não deixem de comentar! Acolhimento eficiente ao usuário do SUS dá dinheiro! PMAQ paga! [Você está aqui!] Acolhimento é Assim: Você Pensa, PARA de Pensar e (se precisar) Pensa de novo! O SUS com Recepção Nota 10 – é possível, é 100% viável! Como Implantar o Acolhimento Eficiente.   Acolhimento é Assim: Você Pensa Muito, para de pensar e depois (se precisar) pensa de novo!    Baixar Modelo de Acolhimento!   Objetivo do Fluxograma de Acolhimento: A função do Fluxograma é dar fluxo no atendimento aos usuários e coordenar a demanda espontânea (daquele paciente que chega sem agendar) sem que a equipe gaste energia e raciocínio para tomar esta decisão de “O quê fazer”. Imagine que o profissional Acolhedor fosse um funcionário recém-contratado e que tivesse que dar fluxo aos pacientes que chegassem até ele: Com o Fluxograma em mãos: ele leria no manual e orientaria o paciente. Sem o Fluxograma: ele teria diversas dúvidas e iria perguntar à enfermeira coordenadora...

This is a demo store for testing purposes — no orders shall be fulfilled.