PMAQ – Saúde da Criança: Como Avaliar?

Um blocos de Indicadores que trata da saúde infantil é o PMAQ – Saúde da Criança. Nesse grupo, há 9 indicadores de saúde que devem ser analisados com cuidado pela Equipe de Saúde para prestar um serviço cada vez melhor para a população infantil. Confira como o seu município deve analisar cada um desses gráficos e indicadores.

PMAQ – Tudo Sobre PMAQ – Seus Indicadores PMAQ – Como Implantar PMAQ – Em sua Cidade 

 

Como Ler Essa Série de Artigos:

Nesta série de Artigos, você verá como analisar o PMAQ de forma inteligente, utilizando Gráficos de Avaliação diretamente na tela do seu computador e verá como implantar todos esses Gráficos em sua cidade em até 7 dias. Clique em um dos links abaixo para conhecer cada um dos indicadores.

  1. O quê é o PMAQ – Guia Completo.
  2. O quê ganho com o PMAQ?
  3. Área: Saúde da Mulher
  4. Área: Saúde da Criança [Você está aqui]
  5. Área: Controle de Diabetes Mellitus e Hipertensão Arterial Sistêmica
  6. Área: Saúde Bucal
  7. Área: Produção Geral
  8. Área: Vigilância – Tuberculose e Hanseníase
  9. Área: Saúde Mental
  10. Avaliando o PMAQ por Microárea – Separando o “Joio do Trigo”
  11. Indicadores do PMAQ – Como Implantar em 7 dias

 

2.1 PMAQ – Saúde da Criança: Média de Atendimentos de Puericultura:

Conceito: número médio de atendimentos de puericultura (Acompanhamento de Crescimento e Desenvolvimento), realizados por médico ou enfermeiro, por criança menor de 2 anos cadastrada na equipe de Atenção Básica, em determinado local e período.

O atendimento de puericultura permite o diagnóstico precoce de problemas relacionados ao crescimento, estado nutricional, desenvolvimento neuropsicomotor e comportamental, além da prevenção de doenças imuno-preveníveis e promoção de hábitos de vida saudáveis, entre outros.

Esse indicador mede a relação entre a produção de atendimentos de puericultura e ascrianças menores de 2 anos acompanhadas pela equipe de Atenção Básica no domicílio, avaliando a potencial suficiência da oferta desses atendimentos ambulatoriais, caso a produção
fosse igualmente distribuída por todas essas crianças.

Apesar das ações de puericultura não se limitarem às crianças menores de 2 anos, esta faixa etária está sendo priorizada pela Rede Cegonha.

Considerando o número de atendimentos de puericultura preconizados para menores de 1 ano (7 / ano) e crianças entre o 1º e 2º ano de vida (2 / ano), e o número médio de crianças menores de 2 anos segundo o censo 2010, a média de atendimentos de puericultura para crianças nessa faixa etária seria de 4,5 / criança / ano.

Função do Indicador no PMAQ: Avaliação de Desempenho

== GRÁFICO ==

 

2.2 Média de Atendimento Pré-Natal por Gestante Cadastrada:

Conceito: percentual de crianças acompanhadas no domicílio que estão sendo alimentadas exclusivamente com leite materno até os 120 dias de vida, em determinado local e período.

Estima a frequência da prática do aleitamento materno exclusivo nos primeiros quatro meses de vida.

Níveis de prevalência elevados estão associados a boas condições gerais de saúde e de nutrição da população infantil, sugerindo potencial resistência às infecções.

Segundo resultados regionais obtidos de uma base limpa do SIAB (2010), em média 76% das crianças acompanhadas pelos ACS nessa faixa etária estariam em aleitamento materno exclusivo, com uma variação entre 70% (NE) a 82% (N).

Um estudo realizado em 2008 sobre aleitamento materno exclusivo em crianças menores de 6 meses nas capitais brasileiras, apontou uma prevalência de 41%, com variação entre 56% (Belém) e 27% (Cuiabá) (Brasil, 2009).

Função do Indicador no PMAQ: Avaliação de Desempenho

Periodicidade: mensal

=== GRÁFICO ===

 

2.3 Proporção de gestantes que Iniciaram Pré-Natal no Primeiro Trimestre:

Conceito: percentual de crianças menores de 1 ano imunizadas de acordo com o esquema vacinal vigente para essa faixa etária, em determinado local e período.

Devem ser considerados os seguintes tipos de vacinas e respectivo esquema, de acordo com o período de análise:

  • Tetravalente (contra difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções pela bactéria haemophilus influenza tipo b), 3 doses em menores de 1 ano;
  • Poliomielite oral, 3 doses em menores de 1 ano;
  • Tuberculose – BCG, 1 dose em menores de 1 ano;
  • Hepatite B, 3 doses em menores de 1 ano;

Esse indicador estima a proporção da população infantil menor de 1 ano imunizada de acordo com o esquema vacinal preconizado pelo Programa Nacional de Imunização (PNI).

A meta operacional básica do Programa Nacional de Imunização (PNI) é vacinar 100% das
crianças menores de 1 ano com todas as vacinas indicadas no calendário básico.

Segundo dados extraídos de uma base limpa do SIAB (2010), 97% das crianças menores de 1 ano acompanhadas pelos ACS estariam com a vacinação em dia, com uma variação entre 96% (NE, N) a 99% (CO).

Valores médios elevados podem encobrir bolsões de baixa cobertura em determinados grupos populacionais, comprometendo o controle das doenças imuno-preveníveis. A desagregação dos dados por microárea pode demonstrar essas variações e intervenções em áreas específicas.

Função do Indicador no PMAQ: Avaliação de Desempenho

Periodicidade: Mensal

 

=== GRÁFICO ===

 

2.4 Proporção de crianças menos de 2 anos pesadas:

Conceito: este indicador expressa o percentual de crianças menores de 2 anos pesadas entre as acompanhadas no domicílio, em determinado local e período.

Mede a cobertura de crianças de 02 anos pesadas, em relação ao total das acompanhadas no domicílio. A mensuração periódica do peso das crianças permite a identificação precoce de situações de risco e necessidades de intervenção associadas com baixo peso, desnutrição ou sobrepeso.

Considerando que as famílias com crianças devem ser priorizadas nas visitas domiciliares e que a mensuração do peso constitui uma atividade essencial para o acompanhamento das crianças, espera-se que a totalidade das crianças com menos de 2 anos sejam regularmente
pesadas.

Segundo dados obtidos de uma base limpa do SIAB, mais de 90% das crianças acompanhadas na Saúde da Família seriam pesadas, com uma variação regional entre 85% (N) a 91% (NE).

Função do Indicador no PMAQ: Avaliação de Desempenho

==== GRÁFICO ===

 

2.5 Média de Consultas para Menores de 1 ano:

Conceito: número médio de consultas médicas por criança menor de 1 ano, em determinado local e período.

Permite analisar a suficiência da produção de consultas médicas para essa faixa etária em relação à demanda potencial das crianças menores de 1 ano acompanhadas pela equipe nos domicílios, no mesmo local e período.

Esse indicador considera, além dos atendimentos médicos programáticos (puericultura), as consultas de urgência e demanda agendada, permitindo uma análise mais abrangente da acessibilidade da equipe para as doenças prevalentes nessa faixa etária e outras demandas
espontâneas. Ele permite avaliar a adequação do volume da produção de consultas médicas em relação às necessidades da população, subsidiando processos de planejamento, gestão e avaliação voltados para a assistência médica à saúde da criança.

ALERTA: é importante que os registros de atendimentos de puericultura realizados pelos médicos também sejam registrados na Ficha D de consultas médicas por faixa etária, para não subestimar a oferta de atendimentos médicos que esse indicador pretende mensurar.

Função do Indicador no PMAQ: Avaliação de Desempenho

Periodicidade: Mensal

== GRÁFICO===

 

2.6 Média de Consultas para Menores de 5 anos:

Conceito: número médio de consultas médicas por criança menor de 5 anos cadastrada, em determinado local e período.
Permite analisar a suficiência da produção de consultas médicas para essa faixa etária em relação à demanda potencial das crianças menores de 5 anos cadastradas pela equipe nos domicílios, no mesmo local e período.

Esse indicador considera, além dos atendimentos médicos programáticos (puericultura), as consultas de urgência e demanda agendada, permitindo uma análise mais abrangente da acessibilidade da equipe para as doenças prevalentes nessa faixa etária e outras demandas
espontâneas.

Com base em parâmetros de programação da Programação Pactuada e Integrada (PPI) e do Prograb – metade dos atendimentos de puericultura e estimativa de doenças prevalentes na infância -, estima-se uma média anual de 1,7 consultas médicas por criança menor de 5 anos.

Segundo dados extraídos de uma base limpa do SIAB (2010), a média de consultas médicas por criança nessa faixa etária estaria em 1,7, variando de 1,6 (SE) a 1,9 (S e N). Esse indicador permite avaliar a adequação do volume da produção de consultas médicas
em relação às necessidades da população, subsidiando processos de planejamento, gestão e avaliação voltados para a assistência médica à saúde da criança.

ALERTA: é importante que os registros de atendimentos de puericultura realizados pelos médicos também sejam registrados na Ficha D de consultas médicas por faixa etária, para não subestimar a oferta de atendimentos médicos que esse indicador pretende mensurar.

Função do Indicador no PMAQ: Avaliação de Desempenho

Periodicidade: Mensal

==== GRÁFICO ===

 

2.7 Proporção de Crianças com Baixo Peso ao Nascer:

Conceito: percentual de crianças com peso ao nascer inferior a 2.500 gramas, em determinado local e período. Compreende a primeira pesagem do recém nascido, preferencialmente realizada durante a 1ª hora de vida, no Hospital ou Maternidade onde nasceram

Esse indicador é calculado com base na proporção de registros de nascidos vivos cuja primeira pesagem foi menor que 2.500 g e o total de nascidos vivos. Essa informação pode ser obtida no Prontuário, na declaração de nascido vivo ou na Caderneta de Saúde da Criança.

Mede, percentualmente, a frequência de nascidos vivos de baixo peso, em relação ao total de nascidos vivos e pretende antes de tudo verificar em que medida as equipes de AB estão identificando esse grupo de risco para acompanhamento prioritário.

A ocorrência de baixo peso ao nascer expressa retardo do crescimento intrauterino ou prematuridade e representa importante fator de risco para a morbimortalidade neonatal e infantil.

Portanto, trata-se de um grupo de risco que deve ser identificado e acompanhado com prioridade máxima pelas equipes de AB.
O indicador serve como preditor da sobrevivência infantil: quanto menor o peso ao nascer, maior a probabilidade de morte precoce. Valores em torno de 5-6% são encontrados em países desenvolvidos, e convenções internacionais estabelecem que esta proporção não deve
ultrapassar 10%. Segundo dados de 2009 do SINASC, a média nacional seria de 8,4%, variando de 6,7% (TO) a 9,68% (DF).

Segundo dados extraídos de uma base limpa do SIAB, 9,5% dos nascidos vivos cadastrados pelas equipes da ESF seriam de baixo peso, com uma variação entre 8% (NE) a 11% (S).

Proporções elevadas de nascidos vivos de baixo peso estão associadas, em geral, a baixos níveis de desenvolvimento socioeconômico e de assistência materno-infantil, não só referentes ao pré-natal, mas também à prematuridade relacionada ao excesso de partos
cirúrgicos.

Esse indicador pode subsidiar iniciativas de intervenção na qualidade do pré-natal e orientar condutas de risco das gestantes que vulnerabilizam ao baixo peso ao nascer (tabagismo,  alcoolismo e outras). Pode ser utilizado para processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas e ações voltadas para a promoção da saúde reprodutiva, bem como proteção e atenção
à saúde infantil.

Esse indicador não é influenciado apenas pela qualidade do pré-natal ou por fatores de risco sobre os quais as equipes possam atuar, mas também por outros aspectos, como a qualidade da assistência ao parto e interrupção prematura da gestação. É importante observar que as maiores frequências de baixo peso ao nascer são apresentadas por estados onde a proporção de partos cesáreos também está acima da média nacional.

Função do Indicador no PMAQ: monitoramento

Periodicidade: Mensal

 

=== GRÁFICO ===

 

2.8 Proporção de Crianças Menores de 1 ano acompanhadas no Domicílio:

Conceito: este indicador mede o percentual de crianças menores de um ano residentes que foram acompanhados por meio de visitas domiciliares dentre as cadastrados pela equipe, em determinado local e período.

Esse indicador expressa a proporção de crianças menores de 1 ano acompanhadas por meio de visitas domiciliares regulares. O objetivo dessa ação é o acompanhamento desse grupo prioritário de forma proativa pela equipe, de modo a monitorar sua situação de saúde, estimular a realização de ações preconizadas para essa faixa etária (consultas de puericultura em dia, vacinação em dia, aleitamento materno,…), identificar precocemente situações de risco para encaminhamento oportuno e realizar ações educativas junto à família para melhoria da qualidade do cuidado à criança, entre outros.

Função do Indicador no PMAQ: monitoramento

Periodicidade: Mensal

=== GRÁFICO ===

 

2.9 Proporção de Crianças Menores de 1 ano acompanhadas no Domicílio:

Conceito: percentual de crianças menores de cinco anos de idade cujo estado nutricional foi acompanhado no âmbito da Atenção Básica por meio do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (SISVAN) em determinado espaço geográfico, no período considerado.

Mede a proporção de crianças menores de cinco anos que tiveram o estado nutricional acompanhado dentro das ações de puericultura da atenção básica à saúde, por meio do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN.Nas crianças menores de cinco anos, a vigilância nutricional por meio do SISVAN permite avaliar indicadores como peso-para-idade, altura-para idade e Índice de Massa Corporal (IMC) para idade, permitindo o cálculo de importantes prevalências, tais como desnutrição (ponderal e crônica), eutrofia (para quaisquer dos
indicadores), excesso de peso e obesidade.

O indicador de desnutrição infantil no Pacto pela Saúde (baixo peso para idade em crianças menores de cinco anos) é obtido a partir do SISVAN, portanto a melhoria da cobertura desse sistema também promove o alcance da meta pactuada pelo município.

Função do Indicador no PMAQ: monitoramento

Periodicidade: Mensal

=== GRÁFICO ===

2.10 Proporção de Crianças Menores de 1 ano acompanhadas no Domicílio:

Conceito: percentual de crianças menores de cinco anos de idade cujo estado nutricional foi acompanhado no âmbito da Atenção Básica por

Shares
Share This

Gostou? Compartilhe!

Compartilhe esse post com amigos!

Compartilhe!

Compartilhe esse post com amigos!

This is a demo store for testing purposes — no orders shall be fulfilled.