3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!

3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!

Obviamente, você tem todo o interesse de que a saúde do seu município (os indicadores Saúde) melhore com a sua gestão, disso eu não tenho dúvidas. Fique de olhos bem abertos!   Porém, com a correria do dia-a-dia, é muito provável que você não se atente a 3 sinais que podem estar indicando o contrário: O seu município pode estar seguindo ladeira abaixo.   Não se preocupe, com este artigo, você conseguirá identificar se o seu município está sob risco e terá condições de tomar ações para correções de rumo.     Sinal #1: Você oferece exames demais aos seus pacientes! Parece contraditório, mas é isso mesmo! Diversos estudos confirmam que 85% dos problemas de saúde do seu município poderiam ser resolvidos sem nenhum tipo de exame complementar – apenas com uma consulta, orientações e prescrição! Eu sei que a culpa não é (só) sua, e que existe uma série de fatores envolvidos (seja de conduta profissional e/ou de cultura dos seus pacientes) que fazem com que a Solicitação de exames seja além do habitual e que transforme a sua Secretaria de Saúde em um Caldeirão de Gastos. . E-Book – 3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]! O pior de tudo, nesse Sinal #1 é quê você nem acompanha esse importante indicador. Você nem sabe o quê está acontecendo…! Isso é que torna a situação ainda mais grave. Note na imagem que é possível identificar um claro padrão de aumento na solicitação de exames laboratoriais nos meses de Setembro e Outubro/2013, apenas olhando para o gráfico. E-Book – 3 sinais de que a...
Atenção Básica – até onde vai o seu alcance?

Atenção Básica – até onde vai o seu alcance?

A Atenção Básica também chamada de Baixa Complexidade, divide atenções com a Média e com a Alta Complexidade. É, também, é o maior e mais importante dos departamentos funcionais do SUS e o que tem recebido o maior montante de investimento pelo Governo Federal, principalmente por atuar em setores de promoção de saúde. Mas, na prática, quando um paciente entra no consultório, você sabe identificar até onde vai a Atenção Básica?   Benefícios da Informatização? O Gestor Informatizado! Convença sua equipe? Como Licitar.   Atenção Básica: A principal porta de entrada do SUS O primeiro contato do paciente com o SUS é pela atenção básica. Exceto nos casos de urgência e emergência, todo paciente que necessita de cuidado já procura o consultório do “postinho”, chamado de UBS – Unidade Básica de Saúde.   Em qual momento o paciente muda de Nível de Atenção? Teoricamente, a Atenção Básica deveria ser capaz de resolver 85% dos problemas de saúde de uma população; vamos utilizar exemplos do dia-a-dia para explicar melhor:   Exemplo #1: Seu Pedro está com febre! Seu Pedro, de 48anos, procura o “postinho” para uma consulta com o Médico Clínico devido à Febre. O médico o examina, detecta uma Amigdalite (inflamação nas Amigdalas, na garganta) e prescreve um analgésico e um antibiótico.   Exemplo #2: Dona Joana está com febre! Dona Joana, de 62anos, procura o “postinho” para uma consulta com o Médico Clínico devido à Febre. O médico a examina, detecta uma Amigdalite (inflamação nas Amigdalas, na garganta), tosse e prostração. Ele prescreve um analgésico, um antibiótico e solicita um Hemograma e uma Radiografia de tórax.   Baixa...

Níveis de Complexidade: Conheça-os, ou eles podem ruir com sua Gestão SUS

Todos sabemos da importância da Atenção Básica para a Gestão SUS e estudos consagrados afirmam que 85% das necessidades da população poderiam ser resolvidos nesse nível de Atenção (chamada primária). Veja, neste artigo, como fazer uma análise completa dos procedimentos da sua cidade e analise a distribuição dos atendimentos pelo nível de Complexidade – você poderá descobrir graves Problemas de assistência que serão muito úteis em sua Gestão. Por isso, apresentamos o exercício abaixo para que você mesmo faça a avaliação da sua cidade. No exemplo, temos três cidades fictícias.     Como está a distribuição dos atendimentos nesse grupo de cidades? No exemplo mostrado abaixo, há três cidades reunidas em um só gráfico do tipo FUNIL onde você já percebe que a Atenção Básica apresenta a maior quantidade de atendimentos, seguido da Média Complexidade e, por fim, a Alta Complexidade (o menor deles). Mas a distribuição dos procedimentos está adequada? (lembrando que 85% dos atendimentos deveriam estar na Atenção Básica). Instruções: Você pode clicar no filtro que há no gráfico para escolher dentre uma das três cidades – ou clicar em RESTAURAR para voltar para o gráfico original. Há duas opções de Filtros: CIDADE e DATA     De antemão, podemos perceber a seguinte distribuição: Atenção básica: 37,3% dos atendimentos. Média Complexidade: 35,3% dos atendimento; Alta Complexidade: 27,4% dos atendimentos;   Conforme vimos no artigo anterior, há uma distribuição bastante danosa e muito longe da meta para a Atenção Básica (85%) já testada e atingida. Façamos um Exercício: Qual delas tem a melhor distribuição dos atendimentos entre os três níveis de Atenção. Note a Presença de Três cidades: Cidade: 1111111, Cidade: 2222222 e Cidade: 3333333   Na...
Gestão SUS: 3 conceitos básicos para a solução de Problemas de Saúde.

Gestão SUS: 3 conceitos básicos para a solução de Problemas de Saúde.

Na Gestão SUS, um Problema de Saúde não deve ter o mesmo significado que uma doença em um paciente. O cargo de Secretário de Saúde exige uma visão Macro – uma visão populacional. Diferente do médico que enxerga um caso de Dengue como um problema de Saúde, a Dengue só se torna problema de saúde quando há um descontrole no número de casos novos por habitante (a incidência da doença) ou quando extrapola as Metas de controle e se transforma em uma Epidemia local. Confira três dicas e conceitos fundamentais na Gestão SUS.     Benefícios da Informatização? O Gestor Informatizado! Convença sua equipe? Como Licitar.   Mas afinal, o quê é um problema de Saúde na Gestão SUS? Como escrevemos em artigo anterior, você, secretário de Saúde tomou posse para Resolver Problemas – problemas de Saúde Pública. Vamos à definição: Simples: Problema (seja de saúde ou de outra área) é uma Meta não atingida! Nada mais do que isso! Uma definição abrangente e ao mesmo tempo muito específica, senão, vejamos alguns exemplos e metáforas: E-Book – 3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!   #1 – Situação A (fictícia): Você está em Belo Horizonte e tem um compromisso importante em Brasília (capital do Brasil) ao meio-dia. Você entra no carro, pega a estrada, mas no meio do caminho, o seu veículo pára de andar, há uma demora no conserto e você só chega a Brasília às 15 horas. Qual é o Problema? Você chegou três horas atrasado em Brasília (perdeu sua reunião).   #2 – Situação B (real): Você fez um...
Atenção básica: solução de 85% dos problemas do SUS.

Atenção básica: solução de 85% dos problemas do SUS.

Você sabia que 85% das necessidades de saúde da sua população poderiam ser resolvidos na Atenção Básica? Há vários estudos que confirmam esta afirmação. O problema é que já existe um histórico de distorções que você, novo secretário de saúde sofrerá para resolver. Você acha que 85% é um número grande demais? Veja como chegaram nesse número e como não perder uma excelente oportunidade de melhorar sua gestão.   Benefícios da Informatização? O Gestor Informatizado! Convença sua equipe? Como Licitar.   O quê é Atenção Básica, no SUS? Em nosso primeiro Infográfico, fizemos uma divisão didática dos departamentos funcionais da saúde do seu município (clique aqui e veja) e a Atenção Básica era um deles – aliás, um dos mais importantes.  A Atenção Básica é um dos Níveis de Atenção do SUS que tem como principal estratégia, a Saúde da População (não do indivíduo, em si), como discutimos nesse post. Ela é a Porta de Entrada do cidadão no SUS e o local responsável por organizar o cuidado com a saúde dos indivíduos, família e da população, ao longo do tempo. E-Book – 3 sinais de que a Saúde do seu Município vai mal [e pode piorar]!   85% dos Problemas de saúde, resolvidos na Atenção Básica. E foi uma estudiosa chamada Bárbara Starfield, em 1994 (foto) que percebeu que 85% dos problemas de saúde da população poderiam ser resolvidos ao nível da Atenção Primária/básica. Ela conseguiu este feito: com uma ação coordenada, realizando serviços preventivos, curativos, reabilitadores e de promoção da Saúde enfim, trabalhando em equipe, e formando uma rede de atenção e cuidado, isso lá em 1994,...

This is a demo store for testing purposes — no orders shall be fulfilled.